Por Que os Funcionários Precisam de Ambos Reconhecimento e Apreciação

Reconhecimento e apreciação. Costumamos usar essas palavras de forma intercambiável e pensamos nelas como a mesma coisa. Mas, embora as duas sejam importantes, há uma grande diferença entre elas. Para líderes que desejam que suas equipes prosperem e organizações que desejam criar culturas de engajamento, lealdade e alto desempenho, é importante entender a distinção.

Reconhecer é dar feedback positivo com base em resultados ou desempenho. Às vezes isso acontece de maneira formal: um prêmio, um bônus, uma promoção, um aumento. Às vezes, o reconhecimento é dado de maneira mais informal: um agradecimento verbal, uma nota manuscrita. Todos esses métodos podem ser significativos, especialmente se forem feitos de maneira oportuna e genuína. Eles também são motivadores e empolgantes – todo mundo quer que seu bom trabalho seja aplaudido.

Mas existem alguns limites para o reconhecimento. Primeiro, é baseado no desempenho, portanto é condicional. Segundo, é baseado no passado, é sobre o que as pessoas já fizeram. Terceiro, é escasso. Há uma quantidade limitada de reconhecimento por aí – todo mundo não pode receber um bônus ou ser mencionado pelo nome em um memorando – e pode ser estressante quando muitas pessoas estão disputando uma quantidade finita de elogios. Quarto, geralmente tem que vir do topo. Muitas organizações criaram programas que permitem aos colegas de trabalho destacar os esforços uns dos outros, mas as principais formas de reconhecimento (promoções, aumentos e assim por diante) geralmente são dadas pelos líderes seniores.

E embora o reconhecimento que inclui compensação monetária possa ser ótimo, pesquisadores da London School of Economics descobriram que os incentivos financeiros podem realmente sair pela culatra quando se trata de motivar os funcionários. De acordo com uma análise de 51 experimentos, “esses incentivos podem reduzir a inclinação natural de um funcionário para concluir uma tarefa e obter prazer ao fazê-lo”.

Apreciação, por outro lado, é reconhecer o valor inerente de uma pessoa. O ponto não são as realizações deles. É o valor deles como colega e ser humano.

Em termos simples, o reconhecimento é sobre o que as pessoas fazem; apreciação é sobre quem eles são.

Essa distinção é importante porque o reconhecimento e a apreciação são dados por diferentes razões. Mesmo quando as pessoas obtêm sucesso, inevitavelmente haverá falhas e desafios ao longo do caminho; dependendo do projeto, pode não haver resultados tangíveis para apontar. Se você se concentra apenas em elogiar resultados positivos, em reconhecimento, perde muitas oportunidades de se conectar e apoiar os membros de sua equipe – para apreciá-los.

Oprah Winfrey falou sobre isso de uma maneira poderosa quando fez um discurso de formatura em Harvard há alguns anos:

Devo dizer que a lição mais importante que aprendi em 25 anos conversando todos os dias com as pessoas foi que existe um denominador comum em nossa experiência humana… O denominador comum que encontrei em todas as entrevistas é que queremos ser validados. Queremos ser entendidos. Já fiz mais de 35.000 entrevistas em minha carreira. E assim que a câmera é desligada, todos sempre se voltam para mim e, inevitavelmente, à sua maneira, fazem a seguinte pergunta: “Isso ficou OK?” Eu ouvi do presidente Bush. Eu ouvi isso do presidente Obama. Já ouvi isso de heróis e donas de casa. Eu ouvi isso de vítimas e autores de crimes. Eu até ouvi da Beyoncé em toda a sua Beyoncédade… [Nós] todos queremos saber uma coisa: “Isso ficou OK?” “Você me ouviu?” “Você me viu?” “O que eu disse significou alguma coisa para você? “

O que Oprah estava falando é apreciação. E quando mostramos apreço a nossos colegas, clientes, gerentes e parceiros, é mais provável que construamos confiança e nos conectemos.

Aqui estão algumas maneiras simples de demonstrar apreço pelas pessoas ao seu redor:

Escute. Uma das melhores coisas que você pode fazer pelas pessoas com quem trabalha também é uma das mais simples: desligue o telefone, afaste-se do computador e ouça-as genuinamente.

Diga às pessoas o que você valoriza nelas. Fazer isso de forma proativa – não porque alguém tenha feito algo ótimo ou porque você queira algo deles – é um presente incrivelmente poderoso. Isso pode afetar positivamente como seus colegas se sentem sobre si mesmos, seu relacionamento com eles e a cultura da equipe.

Entre em contato. Há uma citação que eu gosto que muitas vezes é atribuída a Teddy Roosevelt: “As pessoas não se importam com o quanto você sabe até saberem o quanto você se importa”. Não importa quem disse isso, é um ótimo lembrete. Entre em contato com as pessoas com quem trabalha. Perguntar como elas estão (e falando sério) e pelo que elas estão sendo desafiadas agora pode mostrar a elas que você se importa.

Mostrar apreço pelos funcionários é especialmente importante se você é gerente. Na Pesquisa de Avaliação de Empregados da Glassdoor, 53% das pessoas disseram que sentir mais apreço por parte do chefe as ajudaria a ficar mais tempo em sua empresa – embora 68% tenham dito que o chefe já mostra apreciação suficiente. A lição? Mais é melhor.

Enquanto discuto em minha palestra do TEDx sobre esse assunto, os grandes líderes precisam se concentrar e cultivar com sucesso tanto a apreciação quanto o reconhecimento. E todos nós nos beneficiamos de entender essa distinção nos negócios (e na vida). O reconhecimento é apropriado e necessário quando é conseguido e merecido. A apreciação, no entanto, é importante o tempo todo.

Artigo Traduzido da Harvard Business Review. Fonte Original: https://hbr.org/2019/11/why-employees-need-both-recognition-and-appreciation